Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alheia a tudo... ou talvez não!

Blogue da Bruxa Mimi. Filhos: "Vassoura", "Varinha", "Feitiço" e "Magia" (10, 9 e 7 anos e bebé nascida em maio deste ano). Marido: Gato Rogério.

Alheia a tudo... ou talvez não!

Blogue da Bruxa Mimi. Filhos: "Vassoura", "Varinha", "Feitiço" e "Magia" (10, 9 e 7 anos e bebé nascida em maio deste ano). Marido: Gato Rogério.

How I met your father - Episode 12 (last episode of the season*)

Episode 1, Episode 2, Episode 3, Episode 4,

Episode 5, Episode 6, Episode 7, Episode 8,

Episode 9, Episode 10Episode 11

Kids,

 

Comecei esta história de How I met your father a partir do meu primeiro amor quando estava no 11.º ano de escolaridade, mas, na verdade, o meu coração começou a bater por alguns rapazes bastante antes disso... 

 

Na minha turma dos quatro anos da Primária (atual 1.º Ciclo do Ensino Básico), havia três rapazes "especiais": os gémeos "Artur" e "Manuel", de cabelo loiro e olhos azuis, e o "Guilherme", de cabelo castanho e olhos castanhos cor de mel (ou era avelã?). Os nomes são fictícios. O "Artur" foi aquele que voltou a ser meu colega no 11.º ano, como contei no primeiro episódio da série.

 

Acho que todas as raparigas da turma "gostavam" destes três rapazes. Nunca lhes perguntei, mas sempre achei isso. Se eu achava que eles eram os mais giros, como é que elas poderiam achar outra coisa??? 

 

Quando estávamos na quarta classe (quarto ano, pela nomenclatura atual), houve umas raparigas da terceira classe que andaram a cirandar à volta dos nossos rapazes (meus e das minhas colegas de turma). Lembro-me de não gostar nada disso, e de achar que elas "não tinham nada que andar atrás deles". 

 

Perto do fim da quarta classe, um grupo de rapazes e raparigas, eu incluída, durante o único intervalo que existia (tínhamos o luxo de ter aulas só de manhã) e que durava meia hora foi "brincar" para a parte de trás do recreio, para uma zona menos vigiada. O objetivo: dar uns beijinhos na boca. Estamos a falar de beijinhos toca-e-foge, mas, mesmo assim, quando chegou a minha "vez", eu "passei". Não me sentia preparada para aquela intimidade!

 

Os meus dez anos feitos em março eram inocentes e ainda bem que o eram. Nunca me arrependi do que não fiz; não sei se não me teria arrependido se tivesse dado o tal beijo. Hoje em dia, enquanto professora, vejo que há crianças de dez anos que são inocentes, mas há outras que já perderam a inocência, que já sabem e já experimentaram (muito) mais do que aquilo que eu sabia e tinha experimentado aos dezasseis anos! Mas sobre os meus dezasseis anos já vos contei o que tinha para contar.

 

[*Adenda: Este é o último episódio da primeira temporada.]

13 comentários

Comentar post