Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alheia a tudo... ou talvez não!

Blogue da Bruxa Mimi. Marido: Gato Rogério. Filhos: "Vassoura", "Varinha", "Feitiço" e "Magia" (13, 11, 10 e 2 anos).

Boa / má educação

19.02.14 | Bruxa Mimi
Vou fazer queixinhas, mas não digo de quem.

Acho que é boa educação responder quando alguém nos dirige a palavra, falada ou escrita, daí eu ter por hábito responder a mensagens no telemóvel, mails (exceção para os impessoais, que só raramente recebem resposta), um cumprimento na rua, uma pergunta... ou um comentário no blogue.

Eu percebo que num blogue GRANDE, com muitas visualizações e muitas pessoas a comentarem os vários posts, seja praticamente impossível responder a tudo, mas não acredito que num blogue de pequena dimensão, em que aparece ocasionalmente um comentário, seja assim tão cansativo escrever uma resposta.

E há quem não responda. Quando o único comentário é o meu. E há moderação de comentários, o que significa que teve de ser lido para ser publicado. E o meu comentário é simpático. Diria até muito simpático.

Isto já aconteceu várias vezes, no mesmo blogue. Não acho bem. Acho má educação. Palavra que acho. Até fiquei a pensar em deixar de visitar o referido blogue. Talvez deixe. Talvez não.

Mimi? Oui, c'est moi! #2

16.02.14 | Bruxa Mimi
Afinal a minha amiga respondeu à minha mensagem... e eu respondi novamente, ela, eu, ela, eu, ela... até ela ficar convencida (acho eu) que a teoria que elaborou, em conjunto com uma amiga (mútua), não passou disso mesmo, uma teoria. Repare-se que eu nunca neguei ser a Bruxa Mimi, apenas respondi como sendo seguidora* deste blogue (escrevi blog, como ela) e também do Pais de Quatro. OK, OK, posso tê-la induzido em erro, mas, verdade seja dita, acho que o que escrevi no post anterior faz todo o sentido. Se lê o blogue, fica esclarecida, se não lê, então não precisa de saber que sou eu. Para quê saber? E isto vale para ela e para a outra amiga... Por outro lado, se calhar, apesar de acharem a minha escrita desinteressante, talvez o blogue ganhasse duas seguidoras apenas por conhecerem a autora (eu sei que isso a mim me interessaria - ler um blogue de uma pessoa amiga). Mas não deveria ser a escrita a atrair leitores?

O que vos parece?

*que o sou, senhores, que o sou - a seguidora mais fiel e mais antiga que este blogue tem!

Mimi? Oui, c'est moi!

16.02.14 | Bruxa Mimi
Recebi há pouco uma mensagem no telemóvel. Era de uma amiga que não vejo há algum tempo, mas com quem vou mantendo contacto (ainda que mais ligeiro do que eu e ela - creio - gostaríamos). Depois de perguntar como é que estou e como estão os filhotes, fez uma pergunta pela qual eu não esperava:

'Estou curiosa, és tu a "bruxa Mimi"?'

Respondi que estávamos todos bem e perguntei: "Qual bruxa Mimi?"
Queria ver que resposta me dava...

Não me respondeu. Malandra! Ou achou que não valia a pena explicar, ou achou que eu me estava a fazer de difícil e que era mesmo eu!

Bem, cara amiga, se me estás a ler, podes verificar que não me estou a fazer de difícil. Sim, sou eu!

Se não me estiveres a ler, bem... acho que não te faz a mínima diferença não saberes que sou eu!

Dizei-me, caros leitores...

15.02.14 | Bruxa Mimi
... Gostais de poca-pola*?


* [Feitiço dixit]

P.S. - Que eu saiba, o Feitiço não bebe coca-cola nem nada do género. Mas há umas gomas em forma de garrafa de coca-cola (ou concorrência) e as irmãs (que cá em casa, pelo menos, também não bebem bebidas gaseificadas) e a mãe (que nunca bebe bebidas do género, pois não gosta) identificam-nas como gomas em forma de garrafas de coca-cola. Daí à "poca-pola" foi um pequeno salto...

Sobre o silêncio

15.02.14 | Bruxa Mimi
- Adoro o silêncio que há cá em casa quando os três acabaram de ir para a cama (exceto se algum deles o quebrar, claro);

- Adoro o silêncio que muitas vezes ocasionalmente há na minha sala de aula quando os alunos resolvem trabalhar respeitando as regras;

- Detesto o silêncio constrangedor, especialmente se é entre mim e outra pessoa, para mim, importante;

- Aprecio a capacidade de ficar em silêncio quando palavras atacam como vespas - e ando a tentar desenvolver esta capacidade.