Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alheia a tudo... ou talvez não!

Blogue da Bruxa Mimi. Marido: Gato Rogério. Filhos: "Vassoura", "Varinha", "Feitiço" e "Magia" (13, 11, 10 e 2 anos).

Depois das aulas...

25.02.15 | Bruxa Mimi
... estive a trabalhar com duas colegas. No fim, a que tem carro deu-me boleia para casa. Quando entrei em casa, vi que tinha tempo de ir à igreja antes das crianças chegarem. Foi o que fiz!

Comecei por agradecer. A seguir, rezei um terço. Quando terminei, eram horas de ir para casa.

Fiquei contente por ter conseguido ir, aliás, quase mais contente por me ter lembrado do que por ter ido (um bocado ridículo, reconheço, mas quando uma pessoa passa anos sem se lembrar de ir à igreja* na hora em que o pode fazer, quando finalmente se lembra em tempo útil, parece um feito enorme - sendo que atribuo este feito a Quem me impeliu a lá ir)!

*(Não me estou a referir aos domingos nem aos dias santos.)

Nariz na porta ou "Who's the Boss?"

25.02.15 | Bruxa Mimi
Hoje, como tinha pensado, saí da escola no intervalo do almoço para ir à igreja rezar um pouco antes da reunião. Como não consegui sair logo que tocou (é quase sempre difícil fazê-lo, para mim), pensei que só teria tempo de rezar de fugida, como na segunda-feira. Olhando para o céu, que ameaçava chuva (e eu não tinha chapéu), pensei que se apanhasse chuva, a consideraria uma benção do Céu (assim seria mais fácil lidar com a chuva, se surgisse).

Enganei-me em relação ao tempo para rezar de fugida.

Desta vez, pelos vistos, saí ainda mais tarde, pois quando cheguei à igreja já estava fechada (embora eu tenha pensado, ao chegar, que tinham fechado uns minutos mais cedo, ao olhar para o relógio do telemóvel vi que já eram 13:01 horas).

Fiquei um bocado desiludida, confesso, mas decidi aproveitar para ler o boletim paroquial que está afixado na vitrine. Estava neste processo quando se aproximou um carro [a porta fica mesmo a dar para a rua, que é de pouco movimento] e parou ao pé de mim. Era o prior que o conduzia. Perguntou-me "se precisava de alguma coisa do prior". Respondi de uma forma atrapalhada que vinha falar com o "Boss". Sim, perceberam bem, queria referir-me a Jesus e saíu-me "Boss". Podia ter dito "Chefe" que a vergonha seria a mesma... O prior insistiu se não havia nada que pudesse fazer. Eu respondi que se rezasse por mim ajudaria. Ele disse que sim (depois de me ter ouvido chamar "Boss" a Jesus, deve ter pensado que eu bem precisava!) e seguiu o seu caminho. Eu continuei a ler o boletim.

Algumas citações do Papa Francisco depois, regressei à escola. Adivinham o que aconteceu no caminho?

Sim, choveu. Uma chuva miudinha, daquelas que abençoa casamentos... e professoras nervosas com reuniões. :-)

Entrada proibida

24.02.15 | Bruxa Mimi
A página da "Entrada proibida" (pelas visitas dá para perceber que os meus leitores não ligam muito a sinais de proibição!) anda a ser muito pouco atualizada. Acho que é da vergonha dos valores que lá tinha para escrever...

Houve algumas vezes em que me pesei e esqueci de apontar. Hoje retomei o registo (incluindo um dia da semana passada, já que me recordava do número). Espero continuar... e ter bolinhas verdes para apontar!

Se fazem parte dos leitores respeitadores de sinais de proibição e não fazem ideia do que estou a falar, fica aqui a minha autorização para espreitarem a página... mas só desta vez! ;-)

Uma "visita de médico"

24.02.15 | Bruxa Mimi
Ontem, pela primeira vez desde que sou professora, aproveitei o intervalo do almoço para passar na igreja (que é muito perto da minha casa) para rezar um bocadinho (é óbvio que posso rezar em qualquer sítio, mas o próprio facto de estar na igreja ajuda-me). Já me tinha passado pela cabeça fazer isto, mas nunca em pleno percurso escola-casa, ou seja, nunca me tinha lembrado de ir à igreja durante o intervalo do almoço enquanto estava no dito intervalo do almoço.

Bem, lembrei-me e dirigi-me à igreja (um ligeiríssimo desvio), entrei, ajoelhei-me e comecei a rezar. Estava ainda nos preâmbulos da oração quando se aproxima uma senhora, vinda do interior da igreja e dirige-me a palavra:

- Desculpe, mas vou fechar a igreja.

Levantei-me, despedi-me e saí. Foi mesmo uma "visita de médico"!

A ver se da próxima vez saio da escola logo no início do intervalo. Se o fizer, ainda apanho o fim da Missa, o que não me fará mal nenhum!

Uma questão de "arrumação" #2

24.02.15 | Bruxa Mimi
Os comentários a este pormenor de arrumação continuam...

Varinha: Mamã, as tuas maminhas agora saem, parecem umas montanhas, antes quase não se notava que tinhas maminhas!

O pior, meus caros, é que o que ela diz relativamente ao passado não anda longe da verdade, mas pronto, passado é passado (exceto que eu ainda tenho uns soutiens dos que já não sustêm grande coisa!)...