Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alheia a tudo... ou talvez não!

Blogue da Bruxa Mimi. Marido: Gato Rogério. Filhos: "Vassoura", "Varinha", "Feitiço" e "Magia" (12, 11, 9 e 2 anos).

TAG 12 desafios para 2018

31.12.17 | Bruxa Mimi

12.JPG

Triptofano e a Fátima criaram uma tag (eu antes dizia "etiqueta", mas começo a habituar-me a "tag"), na qual vou participar. Pegaram na ideia das Resoluções de Ano Novo, que toda a gente quase toda a gente faz (eu, por exemplo, não sou de fazer, porque já sei que no meu caso não servem para nada) e transformaram-na num desafio. Depois de publicar as 12 decisões/objetivos/desejos/desafios, num post agendado para as 23:59h de 31 de dezembro, em cada mês faz-se o balanço* do que já foi cumprido ou não. 

 

A minha primeira reação ao desafio foi "Eu passo.", pelas razões indicadas no parágrafo anterior. Mas depois a ideia começou a fermentar, qual bolo no forno, e surgiu dentro de mim um "Talvez pudesse pensar numa ou outra coisa... Se não forem 12, não faz mal!" (downsizar o número de decisões/... é a "batota média" referida pela Fátima e pelo Triptofano). E não é que acabei por descobrir 12 pontos para a minha lista?

 

Sem nenhuma ordem especial de importância, em 2018 gostaria de:

 

  1. Terminar os símbolos da Árvore de Jessé. Tenho este trabalho a meio há pelo menos dois anos!
  2. Recomeçar a blogossérie "How I met your father" e publicar um episódio por semana. Para quem não sabe, apesar do nome lembrar uma famosa série de televisão, trata-se da história verídica de como eu conheci o Gato Rogério, com muitos outros "candidatos" pelo meio...
  3. Não ir para o computador, nem ver televisão, sem estar arranjada. Neste momento, por exemplo, não estou (o post foi agendado, lembram-se?)...
  4. Limitar os doces a um dia por semana (domingo) ou aos dias festivos. Difícil, muito difícil!
  5. Experimentar uma nova receita por mês. Até tenho vontade (pelo menos em teoria). A ver se não deixo passar muitos meses sem concretizar esta aprendizagem/experiência... Ui, que otimista!
  6. Criar materiais (ficheiros reutilizáveis e outras coisas) para usar nas aulas (enquanto estou de licença).
  7. Manter contacto com amigos mais afastados (telefonando, escrevendo,...).
  8. Ler o livro da Jane Austen que recebi no Natal antes de ler ou reler outra coisa. Não devia ser preciso escrever isto aqui, porque eu gosto muito de ler livros dela. Mas como ainda mal comecei, resolvi usar este desafio como "empurrão".
  9. Selecionar roupa para dar e arrumar o roupeiro a fundo. Ai, dói-me o corpo só de pensar na trabalheira. Mas sei que valerá a pena.
  10. Perder peso. Vou retomar os posts "Mimi na balança". Se o ponto 4 correr bem, já é uma ajuda...
  11. Reorganizar o quarto do Feitiço. É um investimento parecido com "dar pérolas a porcos" (não, não estou a chamar porco ao Feitiço, embora ele às vezes tenha comportamentos dignos de um bom suíno), mas a consciência dita que o faça.
  12. O mais improvável de ser posto em prática, por mil e uma razões: Ter aulas de condução e começar a conduzir!

*Balanço: aquilo que adoro - mas só quando ando de baloiço! 

 

Edição antes da publicação: Lembrando-me do que tinha escrito, percebi que me tinha faltado a principal resolução para 2018 (2019, etc.), que é a que tantas vezes falha, e nunca devia falhar:

Fazer tudo, em cada dia,

com um bocadinho MAIS de AMOR

do que na véspera.

Meio caminho andado para ser MAIS FELIZ!

Aquelas visitas de ontem...

31.12.17 | Bruxa Mimi

... que bom revê-las! 

 

Uma não via há meses (tinha a Magia à roda de um mês) e os seus três filhos não via, penso, há um ano e tal, dois anos.

 

A outra não via há anos, para aí uns quatro ou cinco. O marido, e o filho mais novo, nunca tinha visto. Por falar no filho mais novo (o mais velho não veio), que bebé mais fofo (quase, quase, tanto como a Magia)!

 

Hoje tenho visitas...

30.12.17 | Bruxa Mimi

... por isso, adeus!

 

(Não é até para o ano, porque tenho um post agendado para o último minuto deste ano.)

 

Pensando melhor, adianto os meus votos:

 

Que todos vós, as vossas famílias e os vossos amigos tenham um excelente e abençoado 2018!

(Eu ia à procura de um gif, mas os Abba apareceram e mais uma vez não lhes resisti e termino o ano (quase) com eles.)

A minha primeira viagem a outro blogue

29.12.17 | Bruxa Mimi

Por causa do desafio "À descoberta dos bloggers", de que já falei anteriormente, participei pela primeira vez com um texto, em blogue alheio. As honras de tal acolhimento  couberam ao Triptofano.

 

Escrevi sobre a minha experiência como utilizadora de aparelho nos dentes. Podem lê-la, com a devida introdução do anfitrião, aqui.

 

Se quiserem despachar a leitura sem introdução, eis o meu texto:

 

"Eu nasci sem dentes (não se riam, há quem nasça com dentes!). Desconheço que idade tinha quando me nasceu o primeiro dente, mas é irrelevante para esta história.

A dentição de leite ficava-me bem. Devia ter-me ficado por ela – pelo menos os dentes de leite cabiam todos na minha boca – e direitinhos, lindos!

Assim que começou a dentição definitiva, deu para perceber que a coisa não iria correr bem… Ainda hoje lamento o tamanho dos meus incisivos de cima (quando estou mais desanimada, acho que parecem dentes de coelho, embora não sejam tão grandes quanto os dos coelhos – é, no entanto, um facto que eu gosto muito de cenoura crua, qual Bugs Bunny…).

Dentes encavalitados, num chega-te para lá entre uns e outros, levaram a que se tornasse evidente a necessidade de usar aparelho. Andava eu na 4.ª classe (hoje em dia seria o 4.º ano). Foi preciso fazer um molde. Coisa horrível, aquela pasta cor-de-rosa que me enfiaram na boca para ficarem com uma réplica da minha dentição e poderem decidir como deveria ser o aparelho, onde deveria apertar, etc..

Lembro-me muito bem da minha fala nos primeiros tempos do aparelho: esquisita, muito esquisita! Mas uma pessoa habitua-se a ter aquilo na boca e aos poucos começa a falar melhor.

Nesse ano, uma das minhas colegas – a que morava mais perto da minha casa – fez uma grande festa no seu décimo aniversário. A festa incluía almoço. Ora, eu tinha a recomendação de tirar o aparelho antes de comer (pelo menos na refeições principais) e foi o que fiz. Infelizmente, não me tinham arranjado nenhuma caixa para guardar o aparelho, de modo que o embrulhei num guardanapo de papel e coloquei onde não me esquecesse dele.

A seguir ao almoço houve brincadeiras e jogos no exterior da casa. Tudo muito divertido. Até que me lembrei do aparelho. O sítio escolhido afinal não tinha sido assim tão boa ideia. Fui falar com a mãe da minha amiga, a anfitriã. A mesa já tinha sido desmanchada, e nada de aparelho! Concluímos que o aparelho, embrulhado em papel de guardanapo, tinha sido confundido com lixo. O lixo estava em caixotes, num canto do quintal. Nesta altura já havia outras pessoas envolvidas na busca do aparelho. Esvaziámos os caixotes e vasculhámos o lixo. Sim, graças a mim, uma das atividades realizadas na festa de anos da minha amiga foi a caça ao aparelho – um jogo divertidíssimo, que ninguém ganhou. Nada de aparelho no meio do lixo.

Nisto, alguém diz: “O aparelho não será isto?”, apontando para um embrulho colocado numa prateleira de um armário. Era. Final feliz para uma história de lixo aparelho!

A história que contei não foi a única aventura que vivi graças ao aparelho dos dentes. (Digo “o” aparelho, mas com o crescimento o aparelho teve de ser substituído, uma ou duas vezes.)

Quando andava no sétimo ou oitavo ano, ainda usava aparelho. No verão, estive numa colónia de férias. Era um local muito giro – e enorme. Numa tarde, depois de almoçar, voltei a esquecer-me de colocar o aparelho na boca. Eu e outras colegas, vigiadas por uma monitora, fomos jogar ao mata para uma zona de pouca (ou nenhuma) circulação de pessoas. O sítio ideal para jogar ao mata, sem incomodar ninguém.

Faço aqui um aparte, para dizer que gostava de jogar ao mata, mas que não tinha jeito nenhum para “matar” – a minha especialidade era não ser morta. Muitas vezes era a última da equipa a morrer, o que fazia de mim uma peça chave para evitar a derrota. Só nessas alturas é que eu me fartava de saltar para apanhar a bola, já que garantidamente era para mim que os restantes elementos da equipa a atiravam.

Voltando à tal tarde, depois do mata fomos lanchar. Deve ter sido nessa altura que me apercebi que não tinha posto o aparelho. Lembrei-me que o tinha colocado no bolso da túnica. Não estava lá. Fui então falar com a monitora que nos tinha acompanhado durante o jogo do mata. Expliquei-lhe a situação. Ela foi comigo ao local do jogo procurar o aparelho. O chão era escuro, não me lembro se de alcatrão, se de pedras, e primeiro parecia que não iria encontrar nada. Depois encontrei o aparelho… aqui. Ali. Além. Acolá. Um bocadinho em todo o lado.

Explicitando o que é evidente: durante o jogo do mata, o aparelho saltou para fora do bolso sem ninguém dar por isso e foi pisado por sabe-se lá quantas pessoas até se tornar parte do chão…

Recolhi os pedaços de aparelho que encontrei. Final dramático para uma história de lixo aparelho!

O mais espantoso disto tudo? Não me lembro de ser repreendida pelos meus pais, quando lhes contei o que aconteceu. Não me estou a ver a ser assim tão compreensiva. É que a Varinha vai usar aparelho. Já fez o molde dos dentes e tudo. Mas, pelo sim, pelo não, se o aparelho não vier com uma caixa própria, vou arranjar-lhe uma. Talvez se possa evitar cenas tristes… (e poupar uns bons €)."

Tutorial: "Como deixar de ver posts chatos no Facebook"

28.12.17 | Bruxa Mimi

Tutorial - Nome pomposo para um texto que nem sei como vai sair...

 

A Mami queixou-se acerca de alguns posts de "amigos" (trabalho a quanto obrigas!) que lhe aparecem no feed de notícias. Eu propus partilhar uma maneira de deixar de ver tais posts (sem "desamigar" as pessoas, obviamente). 

 

Para partilhar, precisei de pesquisar, pois, apesar de saber que era possível, não costumo utilizar esta ferramenta de limpeza do feed de notícias. Em boa hora pesquisei, porque acabei por descobrir uma maneira muito mais eficiente do que aquela que vagamente conhecia. (À custa disto, este post sofreu uma transformação a meio caminho, e os "Print Screen" iniciais foram para o lixo.)

 

Na "Página inicial", do lado esquerdo, por baixo do vosso nome, encontram o "Feed de notícias". Se passarem com o cursor do rato, aparece-vos uma janelinha: 

2017-12-28 (6).png

Ao clicarem em "Editar Preferências", abre-se outra janela:

2017-12-28 (7).png

 A segunda opção ("Deixa de seguir as pessoas para deixares de ver as suas publicações") é a que vos interessa, para efeitos de "limpeza". Cliquem nela e verão aparecer tudo aquilo que seguem, quer amigos, quer páginas de marcas, blogues, etc. Se quiserem fazer limpeza parcial, cliquem em "todos" para escolherem, por exemplo, fazer limpeza só dos posts dos amigos ("Apenas amigos") .

2017-12-28 (9).png

 À medida que clicarem numa página, por baixo aparece "Seguimento cancelado". Se se enganarem, cliquem novamente e as palavras desaparecem. Quando terminarem, não se esqueçam de clicar em "Concluído", sob pena de ficar tudo na mesma depois de terem tido o trabalho de seleção!

 

Mais tarde, podem querer voltar a ver posts de determinada pessoa. É para isso que serve a terceira opção nas "Preferências" ("Volta a ligar-te às pessoas que deixaste de seguir"):

2017-12-28 (10).png

 Aqui o processo é exatamente o mesmo, com a diferença que, quando clicam em alguma imagem, o que aparece por baixo é "A seguir". Recordo que têm de clicar em "Concluído" para que as alterações sejam concretizadas.

 

Podem usar e abusar desta ferramenta de limpeza (especialmente tu, Mami!). As outras pessoas nem sonharão que deixaram de entupir o vosso "Feed" com (o que para elas não é) lixo!

 

Espero que o tutorial esteja claro. Deu-me gosto fazê-lo!

 

Adenda: Num comentário, a Fátima apresentou uma maneira mais prática de obter o mesmo resultado. Aqui a partilho. No Feed de Notícias, ao verem um post qualquer que não vos interessa, se decidirem que é altura de deixar de ver posts daquela pessoa, devem clicar nos três pontinhos que se encontram do lado direito do post, em cima:

2017-12-28 (11).png

Se a pessoa partilhou um post alheio, as primeiras opções dizem respeito ao autor do post original (no exemplo, é "Milton Nascimento - A Música de Milton Nascimento") e podem escolher não ver mais nada desse autor, independentemente de trinta amigos vossos futuramente partilharem coisas dele. Se o objetivo for deixar de seguir o amigo que fez essa partilha, podem ter que clicar em "Vê mais 3..." para o poderem fazer.

2017-12-28 (12).png

 Como podem ver, em azul está a opção "Não seguir Margarida". Clicando nela, fica o "problema" resolvido e aparece a hipótese de aceder às "Preferências do Feed de Notícias" (que corresponde à segunda imagem deste post), se quisermos aproveitar e limpar a casa toda.

 

Considero que a forma que a Fátima referiu é mais prática porque se vai limpando à medida que se vê lixo.

Suponho que seja ridículo...

28.12.17 | Bruxa Mimi

... mas estou em pulgas por ver publicadas as restantes histórias relativas ao desafio "À descoberta dos bloggers", no blogue do Triptofano.

 

Para quem não sabe (supondo que existe alguém nessas condições), o Triptofano levou o desafio mais além: depois de descobrir uma pessoa para cada item, pediu que escrevesse e lhe enviasse um texto sobre isso, para ele depois publicar, em posts separados.

 

Das 25 questões (que podem recordar aqui), só faltam quatro: Encontra alguém que...

7 - ... tenha usado (ou use) aparelho nos dentes;

9 - ... escreva num blogue com outra(s) pessoa(s);

17 - ... tenha um blogue com menos de doze letras no título;

25 - ... tenha um animal de estimação sem ser cão/gato.

 

Destas histórias, uma fui eu que escrevi. Querem adivinhar qual?

Sonhos #68

27.12.17 | Bruxa Mimi

Um dos sonhos da noite passada:

 

Vejo uma amiga que está a explicar a um filho pequeno [a amiga em questão tem quatro filhos adultos, mas que importa isso no mundo dos sonhos?] que as pessoas não voam. Eu aproximo-me (de uma certa altura) e digo:

 

- Ah, não?

 

Ela olha para cima, sorri e diz:

 

- Parece que afinal algumas pessoas conseguem!

 

A amiga e o filho desaparecem. De longe aparece uma ex-colega dos meus 10-16 anos, também a voar. Vou ao encontro dela, voando. Fazemos uma coreografia aérea, de mãos dadas, ambas muito sorridentes.

 

Acordei a rir. Tive de controlar-me fisicamente para não dar as gargalhadas gigantescas que sentia vibrarem no meu diafragma [não pretende ser uma descrição anatomicamente correta]. Pouco depois adormeci novamente e tive o segundo sonho de que me lembro.

Um bosque de bruxos

27.12.17 | Bruxa Mimi

Lembram-se da "minha" sugestão de prenda para oferecerem no Natal?

 

Graças a ela, a minha família recebeu um bosque! 

bosque_bruxo.jpg

 A minha irmã Mafalda viu o post, achou boa ideia, e comprou mais de trinta árvores, uma para cada elemento da família, do Avô Bruxo à Magia (não me apercebi se incluiu o bebé que está quase a nascer).

 

Mas o melhor... é que ainda vão a tempo! Comprem árvores e ofereçam-nas a vós mesmos!

Best of #11: Dou-vos a conhecer...

27.12.17 | Bruxa Mimi

Publicado inicialmente em 11-3-2014.

 

... a minha voz de há quase um ano (agora já tem outro timbre, de acordo com a maturidade adquirida ao longo destes meses) ;-)

Trata-se da gravação que fiz da minha versão de uma canção infantil que canto ao Feitiço antes de ele adormecer (como vos contei aqui).


Obrigada, querido Gato Rogério, pela ajuda técnica nesta matéria.

 

Adenda: Parece que há novamente problemas técnicos... Enquanto não os resolvo, vejam se conseguem ouvir-me através do post no Blogspot:

https://alheiaatudooutalveznao.blogspot.pt/2014/03/dou-vos-conhecer.html

 

Pág. 1/4