Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alheia a tudo... ou talvez não!

Blogue da Bruxa Mimi. Marido: Gato Rogério. Filhos: "Vassoura", "Varinha", "Feitiço" e "Magia" (13, 11, 10 e 2 anos).

Só mais quatro e ficam quites!

05.12.17 | Bruxa Mimi

Antes de me mudar para o SAPO blogs, tinha meia centena de "seguidores" no Alheia. Embora 50 seja um número modesto, quando comparado com as centenas e milhares de seguidores que alguns bloggers arranjam em poucos meses, para mim foi um número que me deu gosto atingir, por ser "redondinho" e por poder associá-lo a uma palavra "gorda" (a centena - repararam no destaque que lhe dei na primeira frase?).

 

Hoje reparei que o número de seguidores do blogue nesta plataforma está quase a atingir o outro: 46. Mais quatro e empatam. Assim, venho desafiar/pedir a quem me lê e ainda não é seguidor/subscritor, que passe a sê-lo. Se o número 50 for ultrapassado no prazo de uma semana, prometo que não oferecerei contrapartidas. Palavra de honra. O máximo que farei, por causa desse grande acontecimento, será escrever um post. Palavra de bruxa não volta atrás.

Amanhã é o primeiro domingo do Advento

02.12.17 | Bruxa Mimi

e nós vamos buscar o Presépio à arrecadação para o colocarmos em cima do piano, como nos anos anteriores (desde que a Vassoura anda à solta - durante dois anos colocámos o Presépio no parapeito da janela da sala).

 

Também temos árvore, mas não sei se vamos conseguir espaço para ela - pelo menos perto de uma tomada de eletricidade (por causa das luzes). É que o primeiro local onde costumávamos colocar a árvore foi ocupado há uns anos pelo nosso Canto de Oração, e o segundo está ocupado pelo "canto da Magia".

 

Eu gostava muito e vou tentar resolver a situação (uma hipótese é pôr a árvore sem luzes), pois gostava, este ano, de incluir na nossa árvore os símbolos da Árvore de Jessé, explorando as histórias bíblicas por trás de cada símbolo. Veremos!...

Como soube bem!

01.12.17 | Bruxa Mimi

Estar hoje com familiares que não vejo tanto quanto gostaria. Alguns deles (primos) não via há anos (exceto uma vez, no funeral de um tio, em setembro de 2016). Basta dizer que a filha de uma das minhas primas (direita) fez anteontem dois anos e eu nunca lhe tinha posto a vista em cima, nem cheguei a ver a minha prima grávida!

 

Gostei mesmo muito de rever primos, como referi, mas a parte melhor, mesmo, foi estar à conversa com duas das minhas irmãs (as únicas que puderam estar presentes, a Mafalda e a Margarida).

 

I love my family!

Pág. 4/4