Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Made by Vassoura



Comentários recentes

  • Jéssica

    ahahahahah crianças !! Tããõ bom

  • Nuno

    Pelas tuas Aventuras bem mereces a nomeação 

  • Nuno

    De facto é como dizer-nos que estamos ensopados de...

  • Joana Marques

    chá de gengibre! Resulta mesmo!

  • Pózinhos de pirlimpimpim

    😂😂😂 Bem visto, Vassoura. Nova palavra para o dicio...




Desafio das 52 semanas - semana 35

por Bruxa Mimi, em 31.08.18

52.0.JPG

Semana 35: As minhas piores compras foram...

 

Sem dúvida, sapatos que comprei no Continente, uma vez. Pensei que pelo preço de um par de sapatos numa sapataria aproveitava e comprava vários, para ter mais variedade... Saiu-me ao lado: eram todos totalmente desconfortáveis (há que dizer que tenho pés de má qualidade, demasiado sensíveis). Rapidamente foram para dar. Espero nunca me esquecer disto, para não voltar a repetir a asneira.

 

Por outro lado, também comprei um par de sapatos numa sapataria, que ainda tenho, e que só usei uma vez. Fizeram-me uma ferida num dedo. Mas neste caso vou voltar a dar-lhes uma hipótese. Já sei que tenho de os calçar em casa durante um bocadinho apenas, e ir aumentando o tempo aos poucos, de modo a moldar os sapatos aos meus pés. Um bocadinho como se faz na praia, ao sol: um bocadinho mais cada dia. Acredito que a coisa vá correr bem, mas, se não correr, são uns sapatos giros que a alguém ficarão bem sem magoar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sunshine blogger award (quarta nomeação)

por Bruxa Mimi, em 30.08.18

Sunshine-Blogger-Award.jpg

Não há duas sem três! - e, ao que parece, não há três sem quatro! A primeira nomeação veio da Joana, a segunda da Edite e a terceira d'O Triângulo Perfeito. Desta vez, foi a Helena do Dolce Amore Mio que se lembrou de mim, aqui.

 

 

1) De onde vem o nome do teu blogue?

A primeira parte ("Alheia a tudo") vem do facto de eu ser muito alheia ao que se passa no mundo, no país, nas artes, no futebol... Deu para perceber a ideia?  Mas como acabo por saber das coisas - mais tarde do que a maioria das pessoas, é certo -, e também porque "a exceção faz a regra", acrescentei a parte do "... ou talvez não!". 

 

2) Quando e porquê decidiste começar um blogue?

Para poupar os meus neurónios e os meus dedos, vou copiar a resposta que dei à parte do "porquê", numa nomeação anterior: 

"Queria registar algumas «saídas» dos meus filhos, que de outra maneira se perderiam com o passar do tempo (e mesmo assim, muitas se perderam e vão perdendo...). Também queria ganhar experiência para depois criar um blogue com a minha turma."

Quanto à parte do "quando", sei de cor que a criação do blogue e a publicação do primeiro post foram no dia 4 de março de 2013.

 

3) O que mais gostas e o que menos gostas de ler em outros blogues?

: Textos sobre o dia-a-dia ou histórias de família, especialmente (mas não só) quando têm uma pitada de humor.

 

(evito ler, aliás, se deparo com um blogue que tenha posts deste tipo, saio e, por norma, não regresso): textos sobre moda e/ou looks, textos publicitários (mal disfarçados)...

 

4) O que te faz seguir ou deixar de seguir outro/a blogger?

Normalmente, se sigo, não deixo de seguir (ao contrário de alguns meus seguidores, que o deixam de ser não sei porquê). Para começar a seguir, às vezes basta uma visita ao blogue da pessoa, mas já me aconteceu estar a ler regularmente um blogue, pensando ser seguidora "oficial", e descobrir que, apesar de o visitar e o ler, não era - claro que quando me apercebi resolvi esse "problema".

 

5) Se pudesses, dedicavas mais tempo ao teu blogue ou estás feliz com o teu trabalho actual?

Por um lado, gostava de ter mais tempo para o blogue, já que tenho tantas ideias que não tenho conseguido pôr no papel computador; por outro lado, às vezes parece-me que já passo demasiado tempo na blogosfera...

 

6) Qual é a peça de roupa sem a qual não podes viver?

Cuecas. 

 

7) Tens alguma rotina "só tua" antes de dormir? (Rotina de beleza, de leitura, de exercício físico...)

Lavar os dentes, xixi, cama! Variando a hora em que o faço, relativamente ao resto, a rotina inclui rezar. Mas nenhuma destas coisas é uma rotina "só minha", por assim dizer...

 

8) Como te definiriam os teus amigos?

Honesta, assertiva, de confiança.

 

9) "Antes só que mal acompanhado". Sim ou não? Porquê?

Sim, porque a má companhia faz-nos mal e um pouco de instrospeção faz sempre bem...

 

10) Qual é o livro da tua vida?

Não tenho, mas há um livro que me emociona desde a primeira vez que o li, há muitos, muitos anos: "Mulherzinhas", de Louisa May Alcott.

Wook.pt - Mulherzinhas

 

11) Que história gostarias de ver em livro ou em filme?

A que envolve a Joana, o Vasco, a Alice, o Pedro, a Mariana e todas as personagens secundárias (sem ofensa) como a Julieta, o Sr. Ludovino, a família da Joana e do Pedro, o Elias,...  Não estou a brincar, gostaria mesmo - pelo menos enquanto não conhecer os protagonistas da história. É que a história deles dá credibilidade a todas as comédias românticas que vi e de que gostei ao longo dos tempos!

 

Mas, no caso de não poder ser, não me importava de ver em filme "A Criança Amaldiçoada", um livro "extra" do Harry Potter, ou a história completa, fiel aos livros, da "Anne of Green Gables".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Magia "voou para fora do ninho"!

por Bruxa Mimi, em 29.08.18

A expressão do título está ligeiramente exagerada. Só ligeiramente! 

 

O que se passa é que, a partir de hoje, a Magia vai dormir no quarto da Vassoura e da Varinha, à noite.

 

Vai continuar a dormir a sesta no nosso quarto, numa cama de viagem que foi para o lugar deixado vago pela cama de grades. A razão para isto é simples: quando ela dorme a sesta, o quarto fica com acesso vedado a brincadeiras e afins. Não seria justo privar as irmãs mais velhas do quarto, durante todo o tempo da sesta.

 

Vamos ver como decorre a noite e como será o despertar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Paris - dia 4 (9/8/2018)

por Bruxa Mimi, em 29.08.18

[Resumo: Casa. Versailles. Almoço numa pizzaria perto do palácio. Palácio de Versailles. Casa.]

 

Sobre o Palácio de Versailles não há muito a dizer.

 

É grande, muito grande.

É bonito, muito bonito. E piroso! 

Os jardins são grandes e bonitos, também.

E está mais ou menos tudo dito...

 

Mas como quero escrever um pouco mais (querer até não quero, mas acho que devo), vou contar como foi a nossa experiência...

 

No almoço deste dia, numa pizzaria perto do Palácio, eu e o Rogério pedimos a quantidade certa de comida , que estava, diga-se de passagem, muito saborosa.  A parte chata foi que uns insetos tipo vespa andavam sempre a cirandar pela nossa mesa (eventualmente, não só pela nossa, mas as outras pessoas não pareciam estar incomodadas com nada). A Varinha, que detesta insetos de todo o tipo (e teme pela vida quando os vê), fez um bocado de fita. Tendo em conta que uma "vespa" se foi meter dentro do copo de sumo dela, vamos dar-lhe um desconto... [Lamento informar os defensores dos animais que aquele inseto morreu afogado. Ou então não lamento...]

 

A certa altura, começou a chover. Na esplanada do restaurante estávamos razoavelmente abrigados. Felizmente já não chovia quando terminámos a refeição, já que só tínhamos um guarda-chuva, pequeno, ainda por cima.

 

Ao entrar no recinto exterior do palácio, chovia novamente, uma chuva miudinha, felizmente. Vimos uma fila enorme, para quem já tinha bilhete. Dirigimo-nos ao local onde se vendiam bilhetes e, depois de os compramos, por momentos, seguindo as indicações, parecia que iríamos evitar a fila... Foi ingénuo da nossa parte pensar isso, admito!

 

Como ainda chovia, não tão pouco quanto isso, nesta altura, o Rogério foi para a fila e nós os cinco ficámos na loja à espera que me desse um toque para o telemóvel, para nos juntarmos a ele, à entrada.

 

Enquanto esperávamos, a Vassoura e a Varinha precisaram de ir à casa de banho. Se não precisassem mesmo, não teriam ido (segundo disseram), pois só havia uma casa de banho, partilhada por homens e mulheres e que cheirava muito mal. Eu, que só passei perto da casa de banho, posso confirmar que cheirava muitíssimo mal. Fez-me lembrar umas casas de banho "duvidosas", por onde passei quando participei em algumas peregrinações (muitos autocarros cheios de peregrinos a parar em estações de serviço pequenas ultrapassava a capacidade logística do local).

 

Ainda elas não estavam despachadas, tocou o meu telemóvel. Era o Rogério. Corremos para ao pé dele (eu empurrando o carrinho da Magia), já que ainda chovia.

 

Ao entrar, parecia que estávamos no aeroporto... malas para um lado, pessoas para o outro... Com a diferença, para pior, que não podíamos ficar com o carrinho de bebé. Era recolhido ali e entregue no fim da visita. O que nos valeu foi o marsúpio, que andava sempre connosco, mesmo quando levávamos o carrinho. Mas, pelo que pude observar, outras famílias foram apanhadas de surpresa e não se livraram de dar colo tradicional (e mais cansativo) às suas crianças pequenas...

 

Durante a visita, o Feitiço amuou com qualquer coisa e desapareceu da nossa vista. Não nos apercebemos logo e rapidamente o encontrámos (tinha avançado demais), mas ainda assim foi um susto. Nestas questões de segurança, o Feitiço não é muito de fiar... A partir dali, o Feitiço foi bem "preso" ao Rogério e só acalmou quando visitámos a Galeria das Batalhas, cheia de bustos e pinturas referentes a - adivinhem! - batalhas (e a heróis das mesmas, mortos ou não na altura)... O rapaz gosta mesmo de lutas, guerras e afins!

 

Das janelas do Palácio, fomos espreitando os jardins. Embora sejam lindos (eu sei que são porque os visitei em 1997), ainda bem que não pagámos para os ver. Chovia e, no fim da visita ao Palácio, estávamos todos cansados.

 

Recuperámos o carrinho e fomo-nos embora.

versailles.jpg 

 

Conselho:

Se não fizerem questão de poder dizer que visitaram o Palácio de Versailles, visitem o Palácio de Queluz. É igualmente bonito, não tão grande, é um facto, mas sai muito mais barato! E os miúdos podem andar no carrinho de bebé...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desafio das 52 semanas - semana 34

por Bruxa Mimi, em 24.08.18

52.0.JPG

Semana 34: Livros que eu acho que toda a gente deveria ler.

Por obrigação, nenhum.

 

Eu sei, eu sei... Há um Plano Nacional de Leitura com listas e listas de obras de leitura recomendada e outras obrigatórias em determinados anos de escolaridade e agora venho eu armada em esperta dizer o contrário?

 

Eu li livros por obrigação, na escola, e pouco prazer tive nisso, muito sinceramente. Mesmo sendo uma leitora bastante ávida (mas não muito intelectual, assumo sem pudor).

 

Como professora, sempre gostei de ler para os meus alunos e sempre achei fundamental fazê-lo, para reduzir, na medida do possível, a diferença entre os alunos com experiência familiar de leitura e contacto com livros e os que chegavam à escola com vivência nula nesse campo (a frequência do jardim de infância tem sido fundamental neste processo de enriquecimento cultural das crianças - sobretudo quando se valoriza mais o tempo das histórias do que o tempo das fichas de "preparação para o primeiro ano").

 

Encantam-me os bons livros para crianças. São tantos, felizmente!

Divirto-me com livros de aventuras (mas não de ficção científica - não tenho paciência para esses).

Gosto de conhecer as histórias que os vários livros da Bíblia contam e de retirar deles algum ensinamento para a vida (já fiz mais isto do que faço atualmente - exceto relativamente às leituras da missa dominical, que habitualmente  lemos e exploramos em família, na véspera).

 

Livros para crianças que recomendo, sem ir ver os que tenho, nem pesquisar, ou seja, simplesmente os que me vêm à cabeça:

  • todos os da Bruxa Mimi, com texto de Valerie Thomas e ilustrações de Korky Paul;
  • todos os da Princesa Poppy (não sei os autores);
  • «Histórias para meninos "Não quero"», de Vanda Gonçalves (não sei quem ilustrou - se calhar foi ela, mas acho que não);
  • BD: Lucky Luke, Astérix, Os Estrumpfes;
  • com segurança, posso recomendar, mesmo sem ter lido todos, todos, qualquer livro escrito por: 
    • Luísa Ducla Soares;
    • José Jorge Letria;
    • Alice Vieira
  • Colégio das Quatro Torres; Colégio de Santa Clara (as gémeas); muitos livros de aventuras escritos por: Enid Blyton.

 

Não recomendo: os livros do Ruca. Não fazem mal a ninguém (eu que o diga, que os meus filhos ouviram muitas histórias - inclusive lidas por mim múltiplas vezes - e sobreviveram), mas... há tantos livros melhores! E não ajuda recordar-me da voz irritante do Ruca e da voz delico-doce da mãe, nos desenhos animados (que os meus filhos também viram, sim!)...

 

O post já vai extremamente longo, para o que é habitual em mim neste desafio, pelo que só vou acrescentar, para crianças mais crescidas e jovens (e adultos comme moi):

  • a coleção da Anne of Green Gables (não sei se existem traduzidos em português, para além do primeiro) e, claro,...
  • a coleção do Harry Potter!

Resultado de imagem para histórias para meninos não quero

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Paris - dia 3 (8/8/2018)

por Bruxa Mimi, em 23.08.18

[Resumo: Casa. EuroDisney. Casa.]

 

Ainda em Portugal, o Rogério e eu decidimos que iríamos todos à Disneyland, durante a semana em que estivéssemos em Paris. Decisão tomada, comprámos os bilhetes online, poupando uns euros (não sei quantos, agora, mas a diferença entre comprar online e comprar na bilheteira, no dia em que fôssemos, era substancial). Os bilhetes definiam a época de entrada, mas não o dia, deixando-nos livres para escolher o dia de ida. Uma ressalva, no entanto: com bilhetes comprados com antecedência, sem data definida, pode dar-se o caso de haver uma enchente e não se conseguir entrar. Por essa razão, planeámos ir à Disney num dos primeiros dias da nossa estadia em Paris. Ah, e escolhemos visitar "apenas" um Parque (o maior, que é enorme e dividido em várias zonas).

 

O que hei de dizer sobre a EuroDisney?

 

O ambiente é mágico, graças aos fantásticos cenários e à música que se ouve em todos os locais. O facto de a maior parte das pessoas presentes ter algo Disney em si (como umas orelhas de Mickey ou Minnie, ou um vestido de princesa, no caso de muitas meninas) também ajuda a criar ambiente. Nós fizemos parte daqueles que não ajudam... É tudo muito caro e nós somos muitos! 

 

Há muito para ver, passeando simplesmente. Mas, em termos de atividades, as filas de espera são enormes (não será assim durante todo o ano, mas penso que seja inevitável, em agosto...), do género 60 a 80 minutos (há placards eletrónicos com essa informação, junto a cada entrada, para a pessoa saber ao que vai...). Nós estivemos numa fila menor, de apenas 50 minutos, para "viajarmos" numa "nave espacial" durante um minuto e meio, aproximadamente. Nem sei como é que a Magia aguentou a seca - eu aguentei com dificuldade!

 

O cortejo das personagens Disney, umas a pé, outras em carros decorados a rigor, é muito giro, mas não sabendo quando é que ia ser (nem que ia ser), não ficámos bem posicionados para assistir. Estávamos a almoçar quando começou! Mesmo assim, valeu a pena, até para mim que fiquei dentro do restaurante a mudar uma fralda à Magia (daquelas que envolvem as costas, se é que me entendem) e só pude levantar os olhos quando passou a Maléfica em forma de dragão lançador de chamas. Claro que quem estava posicionado de modo a ver a totalidade do cortejo certamente apreciou mais do que eu, mas eu dei-me por satisfeita com o que vi (que remédio!)...

 

Acho que nós cometemos um erro estratégico: não investigámos a programação do parque a priori. Por isso é que nunca sabíamos o que ia acontecer. Fomos vendo o que nos aparecia à frente. Ainda assim, tivemos sorte, pelo menos eu e as meninas. Passo a explicar:

 

Quando estávamos a tentar ir ao poço da Branca de Neve, demos com uma passagem interdita. Rapidamente percebemos porquê: estavam a passar várias princesas por ali. Seguimos as princesas com o olhar e percebemos que havia um aglomerado de gente junto a um palco (a que podemos chamar "salão de baile da Princesa Aurora"). Dirigimo-nos para lá, mas mais uma vez, a visibilidade não era a melhor: estávamos de lado em relação ao palco, e os miúdos, por serem pequenos, viam muito pouco. Quando terminou o baile, as pessoas começaram a dispersar, mas reparámos que algumas pessoas estavam sentadas mesmo em frente ao palco, como se esperassem algo mais. Inquirindo, soubemos que iria haver novo baile das princesas, dali a não muito tempo.

 

Pela primeira e única vez, separámo-nos (sendo aquele o ponto de encontro): o Rogério e o Feitiço foram andar de carro (depois de esperarem numa fila por não sei quanto tempo) e nós ficámos instaladas num local elevado mesmo em frente ao palco, sem cabeças à nossa frente. Gostei imenso do espetáculo. Quando terminou, o Rogério e o Feitiço ainda não tinham chegado. Sem hipóteses de mudar o ponto de encontro (pois eu cometi a asneira de deixar o telemóvel em casa (parisiense) a carregar), continuámos no tal local elevado, desta vez mesmo ao centro. Pensámos: "Se eles se atrasarem e por acaso ainda houver novo baile das princesas, já estamos no melhor local para assistir!". E foi mesmo isso que aconteceu. A diferença foi que a Magia, que dormiu durante os dois primeiros espetáculos, acordou antes de começar o terceiro. Vamos fazer de conta que ela apreciou devidamente o baile, está bem? 

"Et n'oubliez jamais que toutes les filles sont des princesses!" diz a Princesa Aurora perto do fim. E uma pessoa acredita, quando está ali...

 

Este vídeo que encontrei na net mostra um espetáculo quase igual ao que nós vimos.

 

O Rogério e o Feitiço apareceram quando o baile terminou. Novamente juntos, fomos explorar algumas zonas que ainda não tínhamos visto, como a do Farwest. Estas últimas zonas que visitámos são tão giras como as primeiras, na minha opinião, mas exercem menos fascínio em quem chega pela primeira vez à Disneyland - pelo menos se for acompanhado de meninas apreciadoras de princesas... Se um dia lá voltar (não será a coisa mais provável, mas não gosto de dizer nunca...), e se me lembrar, começarei por visitar estas zonas menos "famosas".

 

O parque abre às dez da manhã e encerra às dez da noite. Não chegámos à hora de abertura (longe disso), mas saímos bastante perto da hora de fecho. Se valeu a pena, apesar do que não vimos e do que não fizemos, e do cansaço com que chegámos a casa?

 

Valeu. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Primeira aula de zumba

por Bruxa Mimi, em 23.08.18

Foi ontem. Gostei, mas nem tudo foi como estava à espera:

 

 tinham-me dito que era uma aula muito livre, mas, afinal, havia coreografia para aprender! 

 tive dificuldade em acompanhar o ritmo alucinante dos movimentos (eu, que tanto jeito tenho - or so I thought - para pôr o meu corpo a mexer ao ritmo da música que oiço [a Magia tem a quem sair e não é a nenhum felino]!) 

 

Se tenho esperança de melhorar a minha coordenação à medida que o tempo for passando? Claro que sim! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Primeira aula de hidroginástica

por Bruxa Mimi, em 22.08.18

Foi na segunda-feira. Gostei. Foi mais ou menos como estava à espera, em tudo:

 

 no tipo de exercícios - eram exercícios na água, duuh! 

 no tipo de praticantes da modalidade - old, really old people...

 na minha dificuldade em manter-me mais ou menos no mesmo sítio - enquanto os outros ficavam aparentemente com os pés on the spot! (Se calhar ficavam porque, devido ao ponto anterior, também não pulavam tanto como eu, o que dava azo a sair do lugar mais facilmente.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sim, desta vez esperei que a mami confirmasse a publicação do post do "Há cada uma!" antes de vos enviar para lá... Não que me arrependa de vos dizer para visitarem o blogue da mami - há sempre algo interessante para ler naquele cantinho da blogosfera -, mas não quero que vão à caça de gambozinos!

 

Bem, passemos ao que interessa: é aqui a porta de entrada para a história!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

O Feitiço e o ser ou não ser mentiroso...

por Bruxa Mimi, em 21.08.18

É frequente o Feitiço responder a uma qualquer pergunta com a resposta que lhe parecer mais conveniente (ainda que muitas vezes seja evidente para o seu interlocutor que a resposta é falsa). Pode-se dizer que a verdade não é algo imprescindível, para ele.

 

É também frequente ouvir o Feitiço dizer que as irmãs (exceção feita à Magia) o irritam. E quando se irrita, o Feitiço costuma "atacar" as irmãs, com ou sem pré-aviso.

 

Serviu esta introdução para contextualizar a seguinte "fala" do Feitiço, assim do nada, a meio do almoço:

 

- Se eu disser que vos bato, tenho mesmo que vos bater, para deixar de ser mentiroso!

 

Aquilo foi tão inesperado que a reação foi igual nas três presentes (a Vassoura, a Varinha e eu): sonoras gargalhadas. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Pág. 1/3




Made by Vassoura



Comentários recentes

  • Jéssica

    ahahahahah crianças !! Tããõ bom

  • Nuno

    Pelas tuas Aventuras bem mereces a nomeação 

  • Nuno

    De facto é como dizer-nos que estamos ensopados de...

  • Joana Marques

    chá de gengibre! Resulta mesmo!

  • Pózinhos de pirlimpimpim

    😂😂😂 Bem visto, Vassoura. Nova palavra para o dicio...