Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alheia a tudo... ou talvez não!

Blogue da Bruxa Mimi. Marido: Gato Rogério. Filhos: "Vassoura", "Varinha", "Feitiço" e "Magia" (13, 12, 10 e 3 anos).

Covid-19, uma não-realidade

- a avaliar por muitas cenas que testemunho da janela, querendo ou não...

07.06.20 | Bruxa Mimi

Eu estava na marquise, a estender roupa. Na marquise oiço muitas conversas que preferia não ouvir, vindas do jardim ou do café que se situam perto. Um dia destes ainda oiço confissões de algum crime ou planos para cometer um, como aconteceu com o Poirot, no Egito (Terá sido no "Morte ao Sol" [se é que se chamava assim]? Não sei, já lá vão uns - muitos! - anos desde que li o livro ou que vi a adaptação - filme? série? acho que era filme - no pequeno écran.).

 

Dizia eu que estava na marquise, a estender roupa. E oiço:

- Olá, tudo bem? 

Beijinhos.

Olho pela janela. Mais uns cumprimentos, mais uns beijinhos. Cinco pessoas. Máscaras, zero. 

Nesse mesmo grupo, um espirra, diretamente para as duas mãos (o espirro foi "valente").

Diz outro:

- Não é para as mãos, é para o cotovelo.

O primeiro não deve ter percebido, porque o outro repetiu:

- Não é para as mãos, é para o cotovelo. Vai lavar as mãos.

Como o que espirrou não foi logo, ouvi mais umas duas vezes: "Vai lavar as mãos."

Convencido (ou apenas vencido), o das mãos com ranho sai do lugar, imagino, para ir lavar as mãos. Mas, bom samaritano, apanhou uma camisola que estava no chão..., com as mãos, claro!, e colocou-a em cima de uma espécie de arbusto que havia mesmo perto da mesa deles. (Espero que a camisola fosse dele, ao menos...)

7 comentários

Escrever palavras mágicas