Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alheia a tudo... ou talvez não!

Blogue da Bruxa Mimi. Marido: Gato Rogério. Filhos: "Vassoura", "Varinha", "Feitiço" e "Magia" (13, 11, 10 e 2 anos).

Há boas notícias, no Diário de um Urso!

04.11.18 | Bruxa Mimi

O Nuno decidiu aceitar ajuda.

 

Mais do que ajuda de psicólogos, ele gostaria de receber palavras gentis, um abraço amigo.

 

O Nuno gostaria de conhecer pessoalmente alguns de nós. Uns estaremos mais longe, outros mais perto, mas acho que podemos fazer acontecer, não acham?

 

Vamos comentar no blogue do Nuno e dar-lhe apoio, e/ou combinar algo, se possível?

 

He can beat this depression. Yes, he can! And we can help him! Who's with him?

 

 

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Bruxa Mimi

    04.11.18

    Obrigada pelo teu comentário, Gaffe. Um contributo absolutamente coerente e pertinente. Mas não me parece que tenha havido um "simulacro de solidariedade" - a maior parte das pessoas que se apercebeu que o Nuno não falava apenas de deixar o blogue disse-lhe para procurar ajuda, ninguém tinha a pretensão de ajudar pessoalmente (com exceção de quem se ofereceu para lhe enviar um livro), na minha opinião.
    Quanto ao convite feito e aceite, a proposta partiu dela e não dele, e não sabes como vai ser a combinação entre eles e eventualmente entre o Nuno e outras pessoas (se voltares lá, vais ver que há mais propostas) - pode dar-se o caso de o local de encontro ser definido por ela, num local em que se sinta segura.
    Num comentário do blogue do Nuno eu cheguei a dizer-lhe que parte de mim achava que era tudo uma aldrabice, que não fazia sentido... Tal como tu, não sei o que é e o que não é verdade, mas não teria ficado bem com a minha consciência se tivesse simplesmente ignorado o que li por lá - onde fui parar quase por acaso.
  • Imagem de perfil

    Gaffe

    04.11.18

    A interacção entre um leigo e um doente do espectro que me parece ser o presente, raríssimas vezes resulta. A carga emocional pesa sobre toda a vida do pretenso apoio. Sem a supervisão de um profissional, pode ser altamente danosa a "dependência" que é muitíssimas vezes criada.


    A históriaesta repleta de incongruências e contradições. Aparecem pedras à frente das pedras. Irremovíveis e um surpreendente e repentina vontade de interacção mais física.
    Não duvido um instante das boas intenções e da boa vontade dos comentadores - embora acho tola a oferta do manual prático da felicidade -, mas não me parece que uma rede social possa contribuir para a melhoria da saude mental de um alegado paciente. A depressão, este grau de depressão, necessita de apoio de profissionais treinados, nao de caixa de comentários preenchida com palavras de motivação e incentivo. 
    Se realmente é real o que se está a passar, o senhor deve pedir ajuda a um psiquiatra. Há imensos e muito bons. Não é necessária esperar pelo nome de um, fornecido por um comentador anónimo. O SNS tem óptimos. suponho que todos os comentadores deveriamter insistido na necessidade de se recorrer à ajuda de um profissional. Acredito que todos pensaram nessa urgência.


    Sei que sou de uma crueldade e insensibilidade atroz, mas tenho de admitir que toda a história exala um cheirinho a prestidigitação.
    Não estou nada convencida, mas a verdade é que também nao tenho se estar.
    Posso estar a ser malévola, mas o senhor assusta-me e não apenas pelas razões mais óbvias.
  • Escrever palavras mágicas:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.