Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alheia a tudo... ou talvez não!

Blogue da Bruxa Mimi. Marido: Gato Rogério. Filhos: "Vassoura", "Varinha", "Feitiço" e "Magia" (14, 13, 11 e 3 anos).

11.05.17

Mês de Maria - Dia 11


Bruxa Mimi

"REMÉDIO SEGURO"

 

Certo rapaz, que, em pequeno, recebeu educação profundamente cristã, ao atingir a juventude, arrastado por más companhias, caiu no vício da impureza.

De pecado em pecado entrou nele o aborrecimento, a tristeza, o desespero. A um sacerdote amigo declarou:

- Padre, estou perdido. Para mim já não há remédio. O meu lugar é o inferno.

- O teu lugar é o Céu. Mas a porta do Céu é a Virgem Maria. Vai à Igreja, ajoelha-te diante do seu altar e pede-lhe que te acuda.

O rapaz cumpriu este conselho. Ajoelhado aos pés de Nossa Senhora, sentiu-se verdadeiramente tocado pela graça. Trespassado de arrependimento confessou os seus pecados e começou vida sinceramente cristã, que levou até à morte.

Escreveu o Papa Pio XII: «Para conservar e fomentar a castidade perfeita existe um meio que a experiência dos séculos mostra repetidamente ter valor extraordinário: é a sólida e fervorosa devoção a Nossa Senhora».

Quantos ataques contra a pureza venceu a doentinha de Balasar, a serva de Deus Alexandrina Maria da Costa*! Certa vez, aos 18 anos, tendo ido fazer um recado, apresentou-se certo homem a querer abraçá-la e levá-la para o mal.

«Com os meus 18 anos - conta ela - vi-me num perigo muito grande, inesperadamente. Lembro-me que levava o meu tercinho na mão e que apertei uma medalha de Nossa Senhora das Graças e, de repente, livrei-me do perigo. Foi sem dúvida a Mãezinha do Céu que me valeu.

Isto aconteceu várias vezes, mas tive sempre, sempre, a Mãe a valer-me. Oh! Como lhe estou agradecida!»

Imita este exemplo. Nas tentações contra a pureza, recorre à Mãe Castíssima, à Rainha das Virgens. Quem assim fizer - garante Santo Afonso Maria de Ligório, Doutor da Igreja - não sucumbirá.

 

*Lembro que o livrinho de onde estou a copiar os textos do Mês de Maria foi publicado em 1979. Desde essa altura, Alexandrina foi declarada Venerável, em 1996, e beatificada, em 2004. Cf. a página oficial do Santuário Alexandrina de Balasar.