Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Made by Vassoura



Comentários recentes

  • Bruxa Mimi

    O melhor que consegui na altura, isso é certo!

  • mami

    o legado de um bom trabalho :)

  • Bruxa Mimi

    Diz, claro! Mas não foi com ela que comecei a gost...

  • Pózinhos de pirlimpimpim

    Tão bom ouvir umas palavras de reconhecimento de u...

  • Bruxa Mimi

    Há bocado experimentei ir ao blogue no telemóvel e...


Poções mais experimentadas



Sonhos #69 - A desilusão ao acordar

por Bruxa Mimi, em 04.02.19

Quem já leu alguns dos posts sobre sonhos, neste blogue, talvez se lembre que o título de cada post é sempre "Sonhos #[número]". Este sonho, que sonhei na noite passada, merece um subtítulo, com o qual concordarão, de certeza, todos os que são fiéis leitores da Saposfera. Já vão ver porquê... 

 

Eu estava na minha casa [a do sonho, que não tinha nada a ver com a minha casa real]. Aparece-me o vizinho do lado a chamar-me para lá ir. Eu vou, e, enquanto vou, apercebo-me que o vizinho é o famoso Dr. Pedro Rebelo. Entramos na casa dele pela porta que dá para a cozinha, onde há uma grande mesa de madeira, onde, virada para mim, está sentada a mulher do Pedro (é meu vizinho, posso tratá-lo assim, não posso?). 

 

Quando me dou conta que a pessoa ali sentada é a "Joana do Quiosque", antes de olhar mesmo a sério para ela [apesar de ela ser minha vizinha, é a primeira vez que a vou ver!], desvio a cara e pergunto: "Joana, posso olhar para ti?"

 

A Joana ri-se e diz que sim. Eu olho, meio histérica, mesmo não estando a gritar, e digo: "Não acredito que finalmente estou a conhecer a Joana do Quiosque!  Há tanto tempo que te queria conhecer. E afinal somos vizinhos... Eu sabia que a minha casa era num dos limites de Carcavelos, mas não sabia que era mesmo ao pé da parte de Oeiras em que vocês moravam! Tão perto..."

 

O Pedro e a Joana perguntam-me se quero comer do que eles estavam a comer (acho que era hora de almoço) e eu aceito, mas, assim que sou servida, eu e a Joana saímos de casa e vamos dar uma volta pela zona. Subimos a rua e estamos num largo que me fez lembrar a zona ao pé da escola primária que frequentei. Eu pergunto à Joana se aquela [uma casa com identificação de escola] é a escola onde a Alice anda e a Joana confirma.

 

Voltamos para casa, mas a mesa de madeira, onde estava a minha comida, agora é uma mesa de um restaurante e há um empregado que pergunta: "De quem é esta comida?". Eu respondo que é minha, mas quando me vou sentar para a comer, há um barulho de despertador que me arranca do sonho. 

 

Assim que me apercebi que não tinha conhecido a Joana e que tudo não passara de um sonho, fiquei tão, mas tão desiludida...

 

Respondam honestamente: não ficariam também???

 

Refletindo no sonho, posteriormente, reparei que não houve qualquer referência ao Vasco ou à Gabi no sonho, o que estranhei, mas atribuí à minha falta de à-vontade com cães (não tenho propriamente medo de cães, mas não estou habituada e não gosto de ser surpreendida por "ataques", por mais amigáveis que possam ser). Embora não tenha "visto" a Alice, não estranhei, pois estava no infantário. Ah, um outro pormenor era que o Pedro tinha um look assim meio indiano! Mas só me pareceu isso na segunda parte do sonho, na primeira não me pareceu que tivesse. Sonhos... neles vale tudo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sonhos #68

por Bruxa Mimi, em 27.12.17

Um dos sonhos da noite passada:

 

Vejo uma amiga que está a explicar a um filho pequeno [a amiga em questão tem quatro filhos adultos, mas que importa isso no mundo dos sonhos?] que as pessoas não voam. Eu aproximo-me (de uma certa altura) e digo:

 

- Ah, não?

 

Ela olha para cima, sorri e diz:

 

- Parece que afinal algumas pessoas conseguem!

 

A amiga e o filho desaparecem. De longe aparece uma ex-colega dos meus 10-16 anos, também a voar. Vou ao encontro dela, voando. Fazemos uma coreografia aérea, de mãos dadas, ambas muito sorridentes.

 

Acordei a rir. Tive de controlar-me fisicamente para não dar as gargalhadas gigantescas que sentia vibrarem no meu diafragma [não pretende ser uma descrição anatomicamente correta]. Pouco depois adormeci novamente e tive o segundo sonho de que me lembro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sonhos #67

por Bruxa Mimi, em 19.10.17

Por vezes, ao recordar um sonho e não podendo logo registá-lo por aqui, escrevo as ideias principais numa "folha de notas", no telemóvel. Acontece que, se deixar passar muito tempo, as ideias principais de um sonho passam a ser as únicas ideias acerca desse sonho. 

 

Atualmente tenho vários sonhos registados no telemóvel (alguns há anos). Não os apago porque hei de partilhá-los, nem que seja copiando as ideias principais que lá estão.

 

No entanto, o sonho que hoje vou contar não está no telemóvel. Está apenas na minha cabeça e quero registá-lo antes que se vá!

 

Este sonho foi sonhado na manhã do dia 6 de outubro deste ano, sexta-feira a seguir ao feriado do 5 de outubro, algures entre as oito e as oito e meia, e teve uma particularidade que o torna especial: o sonho passava-se exatamente nessa manhã, a essa hora.

 

O Rogério tinha saído para levar a Vassoura, a Varinha e o Feitiço à escola. Alguns minutos depois, tocam à campainha. Vou abrir e são as três crianças. Pergunto-lhes por que razão regressaram a casa. Dizem-me que, ao chegarem à escola, a encontraram fechada - a direção e os professores tinham decidido fazer ponte, sem avisarem os pais dos alunos. Eu digo: "Realmente, isso não se faz! Eu estou em casa com a Magia e posso ficar convosco, mas e se eu estivesse a trabalhar?" e depois pergunto: "E o papá, onde está?". Respondem-me que os deixou à porta de casa e foi trabalhar.

 

Acordo, sem campainha nem crianças de regresso, apercebo-me do sonho e acho piada que se tenha passado na hora em que o sonhei. Conto o sonho ao Rogério, que entretanto passou por casa para deixar o carro, porque vai para o trabalho de transportes públicos. Sempre que conto um sonho - e quantas mais vezes o fizer -, melhor me lembro dele para depois o registar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sonhos #66

por Bruxa Mimi, em 11.04.17

Sonhei há uns dias que a Magia já tinha nascido e, quando lhe ia dar de mamar, via que ela já tinha dentes... e que dentes! Pareciam os do Lobo Mau da história da Capuchinho Vermelho...

 

Acordei antes de lhe dar de mamar (Pudera!), mas lembro-me de dizer: "Se eu já tive dificuldades nos primeiros tempos (15 dias, mais ou menos) com a amamentação dos outros, que eram desdentados, como é que vai ser agora?".

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sonhos #65

por Bruxa Mimi, em 25.03.17
Não sou capaz de contar o sonho todo, porque, como é normal em sonhos, tem saltos espaciais e temporais difíceis de descrever. Vamos ver o que consigo contar.

Estava na praia com a madrinha da Varinha. A certa altura passa uma menina com dois anos, mais ou menos, a correr atrás de uma bola que rolava pela areia. A minha preocupação era perceber se havia algum adulto relacionado com a menina a tomar conta da ocorrência. Havia, embora ao início me parecesse que estavam muito descontraídos relativamente ao afastamento da criança. Um dos senhores diz:

- Nós delimitámos um perímetro [não me perguntem como], por isso ela não pode sair da praia nem por um lado, nem pelo outro.

Ainda na praia, a certa altura eu e a madrinha da Varinha apercebemo-nos que a Marta, sua filha, com 14 anos, não estava à vista. Procurámos um bocado sem a encontrar.

Mais tarde, a minha comadre liga-me a dizer que a Marta já aparecera. Tinha ido (com amigas) ao "Parque do Sétimo*".

Eu: Sem te pedir autorização... [estava surpreendida porque a Marta é ajuizada!]

Comadre: Sem pedir autorização e sem dizer nada!

O sonho acabou, pois a seguir acordei. Mas, já acordada, pensei que realmente não custava nada avisar a mãe dos seus planos - no mínimo, já que o correto seria pedir autorização!

*O nome do parque era mesmo assim, no sonho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sonhos #64

por Bruxa Mimi, em 04.03.17
Quem teve este sonho - categoria pesadelo - foi a Vassoura, há umas semanas. Acordou-me a meio da noite, a chorar, aflita com o que tinha "acontecido" no sonho. Embora soubesse que tinha sido um sonho, não conseguia "desligar" e pensar noutras coisas.

No sonho, eu vou buscar os três à escola, mas começo a andar muito depressa. A Varinha começa a falar com colegas e fica para atrás. A Vassoura, preocupada, olha para trás, para ver se a Varinha já está a aproximar-se, e fica em pânico quando vê a Varinha dentro de um carro, virada para trás, com um ar assustado, a agitar as mãos. Nesta altura do sonho, a Vassoura acordou.

Depois de acalmar a Vassoura, com muitos abraços, quem ficou incomodada com o sonho da Vassoura fui eu, bem acordada!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sonhos #63

por Bruxa Mimi, em 04.03.17
A noite passada sonhei que me "rebentavam as águas" por estes dias, ainda às 29 semanas, e eu dizia: "Ai, que não tenho nada pronto! Só às 30 semanas é que ia começar a lavar a roupa da bebé e a tratar do resto das coisas!*".

No hospital, diziam-me: Está tudo bem, pode ir para a casa descansar. Não se passa nada.

E eu respondia: Não se passa nada? Então eu comecei a perder líquido amniótico e o senhor [era um homem] acha que é normal eu ir para casa? Para arranjar uma infeção, não?

Depois, no sonho, eu acabava por ficar no hospital, e fazia força com vontade mas a bebé não chegava a nascer - eu, pelo menos, não a "vi"! 

*Verídico.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sonhos #62

por Bruxa Mimi, em 10.01.17
Sonhei, numa das noites do fim de semana passado, que me tocavam à campainha e era a Teresa Power. Ela só tinha uma hora e pouco livre [com tudo o que faz, não admira], mas aproveitámo-la bem para conversar. 
Foi tão bom! 😊

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sonhos #61

por Bruxa Mimi, em 10.12.16
Categoria pesadelos...

O sonho foi longo e doloroso. Vou resumi-lo.

Sonhei que o bebé nascia às 22 semanas e depois acabava por morrer. A meio do sonho, quem tinha morrido era a Varinha. 

Quando acordei, foi um alívio!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:

Sonhos #60

por Bruxa Mimi, em 07.12.16
Esta noite sonhei com piolhos. [Não admira!]

Eu tinha uns tão grandes que eram do tamanho de baratas. Que nojo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas enfeitiçadas:



Made by Vassoura



Comentários recentes

  • Bruxa Mimi

    O melhor que consegui na altura, isso é certo!

  • mami

    o legado de um bom trabalho :)

  • Bruxa Mimi

    Diz, claro! Mas não foi com ela que comecei a gost...

  • Pózinhos de pirlimpimpim

    Tão bom ouvir umas palavras de reconhecimento de u...

  • Bruxa Mimi

    Há bocado experimentei ir ao blogue no telemóvel e...


Poções mais experimentadas